17 de fevereiro de 2017

NA PORTA DA CADEIA NÃO É FÁCIL

Na saída dos Presídios,  após o dia de visita, os familiares dos internos saem na intenção e na esperança de um dia estar com o seu ente querido de volta, saem com a esperança de mais uma vez, ver a sua família toda reunida outra vez, e gozar de paz finalmente. 
Só que esta esperança acaba segundos depois de passarem pelo último portão da cadeia, pois é notório o desespero, a dor e a angústia das pessoas que deixam suas familiares dentro de uma unidade prisional. Todos tem em comum a consciência de que o erro deve ser corrigido, de que a "dívida" deve e precisa ser paga, mas a dor e o sofrimento acabam sobrepondo a consciência e assim vem a tristeza e a angústia que fazem o familiar do preso, tão destruído e aprisionado do que o seu familiar.

No intuito de ajudar os familiares, a UNP aguarda nas portas dos presídios para falar da palavra de Deus e levar a esses familiares a Fé! Que para eles é a única arma capaz de contra-por a situação que vem destruindo suas vidas.

Nesse domingo, a UNP atendeu os familiares e fizeram oração com aqueles que pediram ajuda, muitas dessas pessoas visitam seu familiar pela primeira vez no CDP da Cidade de São Vicente/SP.

Como uma triste rotina a UNP mais uma vez acompanhou a saída dos familiares dos detentos,  e a palavra triste é colocada aqui devido a situação destas pessoas. Elas saem abatidas, sem saber o que irão encontrar na próxima visita e nem mesmo sabem se estarão naquela unidade prisional.
Para acabar com a tristeza, angústia e falta de esperança, a UNP leva a Folha Universal, jornal de circulação nacional que traz uma palavra de fé semanalmente aos seus leitores. Os voluntários UNP ainda anotam em um caderno de oração o nome de todos e intercedem pelos mesmos, falam da importância de estarem participando das reuniões da Universal para que eles venham se fortalecer e poder ajudar os seus familiares ainda no cárcere.
A UNP explica a essas pessoas tão preciosas para Deus, que o Espírito Santo é o único que pode consolar nesse momento tão difícil de suas vidas, é Ele que dá o conforto que precisam para enfrentar todos os desafios da longa caminhada na rotina do cárcere.

E assim, a UNP deixa uma mensagem para todos:

“Elevo os meus olhos para os montes; de onde me vem o socorro? O meu socorro vem do Senhor, que fez os céus e a terra. Salmos 121.1-2

Colaborou UNP Baixada Santista
Acompanhe o trabalho da UNP através das nossas redes sociais:

Bispo Eduardo Guilherme (Resp. UNP Brasil)
Programa Momento do Presidiário no Facebook

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Conte-nos, o que achou da matéria?